Mais Exercício Não Queima Mais Calorias

Mais Exercício Não Queima Mais Calorias 1

Mais Exercício Não Queima Mais Calorias

Os resultados, publicados esta semana na revista Current Biology, revelam que, no momento em que a atividade física supera níveis moderados, o consumo de energia não aumenta, todavia se estabiliza. Isso aponta que o corpo humano é apto de ajustar-se às alterações para regular e manter o gasto total de energia. “Os especialistas em saúde pública, em geral, executam uma abordagem muito descomplicado: mais atividade física resulta em um gasto calórico superior.

Agora carecemos pôr à prova essa teoria”, explica a Sincronização Herman Pontzer, pesquisador da Universidade de Nova York (EUA) e principal autor do estudo. Pontzer adverte que teu estudo não questiona os benefícios do esporte: “Há muitas evidências de que o exercício é sério pra conservar o corpo e a mente saudáveis.

Nosso trabalho adiciona que pra controlar o peso também necessitamos nos concentrar pela dieta”. O que tenho notado é que, a partir de um estabelecido nível de atividade física, o consumo de energia do corpo humano não muda, por mais que a pessoa faça mais exercício. Pelo oposto, se há diferenças em indivíduos pouco ativos.

  • Pode afetar de maneira negativa a função renal
  • Remova carece de fontes?
  • 1997 Paradoxos da alimentação contemporânea. Barcelona. Icaria
  • são paulo, brasil / Prêmio, o atacante do Bruges

“aqueles Que levam um hábitos de vida sedentário gastam por volta de duzentos kcal por dia, menos do que aqueles que são de mandeira moderada ativos”, indica. O cientista começou a meditar sobre isto este assunto, quando trabalhava com os hadza, uma população de caçadores-coletores do norte da Tanzânia.

“Os hadza são extremamente ativos, caminham longas distâncias cada dia e fazem um trabalho físico muito difícil em sua existência cotidiana”, diz Pontzer. “Apesar de seus altos níveis de atividade, nos demos conta de que seu gasto de energia diária é igual ao de outras pessoas mais sedentárias, com estilos de vida modernos nos EUA e Europa.

Isso me surpreendeu e me fez reflexionar pela conexão entre a atividade e o gasto de energia”. Para estudar a dificuldade, Pontzer e tua equipe mediram o gasto energético e a atividade diária de mais de trezentos homens e mulheres no decorrer de uma semana.

os dados que recolheram, se apreciava um efeito fraco, entretanto mensurável, da atividade a respeito do consumo. No entanto, ao realizar uma análise mais detalhada, esse modelo só se observava entre os sujeitos pela metade inferior do espectro de atividade física. As pessoas com atividade moderada gastavam em torno de 200 quilocalorias mais por dia do que as sedentárias; porém os que superavam os níveis de atividade moderados não consumiam mais calorias por exercício extra.