Chega A Portugal A Maquiagem Da Dinastia Ming

Chega A Portugal A Maquiagem Da Dinastia Ming 1

Chega A Portugal A Maquiagem Da Dinastia Ming

Há 389 anos da assinatura Dai Chun Lin tornou-se o primeiro fabricante de alta cosmética do universo. Nesta hora a marca desembarca em Portugal. No ano 3.000.C. os chineses de imediato faziam esmaltes e vernizes de unhas. Pro cuidado do corpo humano e o rosto, as mulheres usavam cremes elaborados com óleos consideráveis de frutas, plantas e ervas, que combinavam com perfume de flores, madeiras, cera de abelhas e pó de pérolas.

Esta mistura de ingredientes naturais que deu território ao primeiro maquiagem do que se tem entendimento. Corria o ano de 1600 e o seu autor, Dai Chun Lin, assentar as bases de apreciados os rituais de beldade orientais. Fundado em 1628, em plena Dinastia Ming, Dai Chun Lin foi o primeiro fabricante de produtos de alta cosmética pro cuidado de pele na China. De tuas mãos saíram os primeiros pós faciais perfumadas do universo, elaborados exclusivamente para a concubina favorita do imperador Chongzhen. Já, quase quatro séculos depois, o teu legado chega à Europa a mão de duas mulheres comprometidas com os valores de formosura orientais. Madrid, no bairro de Chueca, em madrid acolhe a primeira loja-boutique da assinatura no Ocidente.

  • 100 anos depois
  • ‘Flipy’, Nova York e Enjuto no iPad
  • 3 O sublinhado é meu
  • A Peregrinação (Hajj)
  • Classificação dos cosméticos pro barbear
  • dois Obstrua as sobrancelhas

“O consumidor ocidental apenas se fixa nos ingredientes ou em como vão afectar o teu corpo humano. O comprador oriental, pelo oposto, fornece muita relevância aos componentes. Para eles, a cosmética tem um fim benéfico pro organismo, porque só desta forma se consegue o repercussão desejado”, explica a PAPEL Branca Rudilla, uma das responsáveis pela distribuição de Dai Chun Lin na Europa.

Advogada e mãe de duas crianças chineses, Rudilla é especialista em adoções internacionais e Diretora da ACI (Liga pro Cuidado da Infância). Teu conhecimento do gigante asiático foi empurrado para levar para Portugal os seus segredos de formosura.

A cosmética é fundamental pela história da China. Tua cultura considerava o trabalho da graça como um sinal de higiene, pureza e status social. “A maquiagem na China Imperial era um denominador comum das classes sociais mais altas”, explica Rudilla. “Aqueles que o usavam pra se distinguirem como categoria social exclusiva, sendo mais lindas que o resto de acordo com a forma e o momento”.

Pela China atual, as coisas mudaram. “A maquiagem cumpre o único intuito de alcançar uma maior perfeição e graça. As chinesas buscam rostos brilhantes, perfeitos, sem manchas ou imperfeições, a eterna juventude”. Não é de admirar que fosse na China Imperial, onde se deu maneira ao primeiro maquiagem da história. O corretivo com pó de pérolas de Dai Chun Lin é a primeira apoio de que se tem discernimento no universo. O assunto é considerável e, assim, como explica Rudilla: “A medicina habitual chinesa defende que cada item que se usas o organismo tem que dar-lhe benefícios.

Eles usam os ingredientes e a fitoterapia, em tal grau em exercício externo como interno, pelos privilégios que trazem ao corpo”. Ademais, a partir Dai Chun Li lembram que a cosmética, a china procura equilibrar a pele, “para que a minha aparência luminosa e hidratada, dado que uma pele equilibrada é uma pele saudável”.

Mas não só o produto importa, pra tradição chinesa, assim como o continente é de grande relevância. Os produtos de cosméticos preferidos pelas imperatrizes da China Imperial estavam acondicionados em recipientes de porcelana pintada à mão, uma questão que Dai Chun Lin segue cuidando em todas as suas linhas por qualquer coisa mais do que estética. “Os recipientes são de porcelana chinesa, como os que são usados para conservar o café e outros produtos de fitoterapia, por causa de este utensílio preserva a iluminação e as altas temperaturas, permitindo que os ingredientes conservem todas as suas propriedades”.

Não é o mesmo, nem sequer deve confundir-se a resistência do cimento do concreto, que a indústria do cimento corresponde a componentes normalizados e a do concreto depende de todos e de cada um de seus componentes. Contudo se o concreto está bem dosificado a maior resistência do cimento corresponde superior resistência do concreto. O cimento é em pó e a finura de tua moído é importante em suas propriedades ligantes, influindo decisivamente pela velocidade das reações químicas de tua configuração e primeiro endurecimento.